De Falta de Reservas a Problema

Esta reflexão é realizada após a leitura deste artigo “Colapso de stablecoins pode impactar mercado de bonds nos EUA”.

Eu acompanho o mundo cripto há muitos anos, durante todo o percurso assisti a muitas mudanças de opinião dos especialistas, mas no caso das stablecoins é o mais curioso de todos.

Primeiro criticavam as stables, especialmente a Tether (a maior stablecoin), porque era pouco transparente das suas reservas, tinha muito papel comercial e alguns duvidosos. A Tether seguiu o conselho, trocou o papel comercial por bonds (Títulos do Tesouro dos EUA) e começou a realizar e divulgar as auditorias.

Agora os mesmos políticos e/ou economistas alertam que as stablecoin tem demasiados bonds, é um problema, como é explicado no artigo. Chegando ao ponto de alguns “profetas” dizerem que será nas stablecoin o epicentro da próxima crise mundial

“Uma crise de confiança em uma stablecoin faria com que os usuários resgatassem seus criptoativos por fiat. Isso, por sua vez, faria com que o emissor vendesse seus ativos em reservas para honrar os saques.

Numa situação extrema, de total perda de confiança nas stablecoins, os emissores teriam que vender grandes quantidades de títulos do Tesouro dos EUA. “E eu acho que [a] preocupação dos reguladores é se houvesse uma perda de confiança nas stablecoins”, disse o professor.

Um grande volume de resgates, mesmo em um mercado com alta liquidez, pode criar turbulência no mercado de valores mobiliários, dada a importância do mercado de títulos do Tesouro para o sistema financeiro dos EUA. Acho que os reguladores estão preocupados com razão”, completou Prasad.” in Colapso de stablecoins pode impactar mercado de bonds nos EUA

Vamos fazer as contas:

StablecoinsCash in Reserve BanksU.S. TreasurySupply
Tether7.2B46.9B66.4B
USDC12.7B31.2B43.8B
BUSD0.4B6.07B+16.16B16.3B
Total20.3B100.3B

A soma dos Bonds das 3 maiores Stablecoins, pouco mais de 100 Billion, a dívida dos EUA é superior a 30 Trillion, é uma gota num oceano.

Porque é que os reguladores estão com medo? Se eles dizem que os Bonds estão saudáveis, sem problema, o porquê  de terem tanto medo.

A resposta é que os Bonds não estão saudáveis como declaram, assim como a economia dos EUA. Atualmente os Bonds são uma enorme bolha que está à beira do colapso, devido ao forte crescimento, a dívida dos EUA está a atingir um valor, que é “impagável”. Eu coloquei entre aspas, porque os EUA nunca vão falir, vão simplesmente imprimir Trillion de dólares para pagar dívida, com consequência terríveis, além de destruir o dólar, as ondas de choque atingirão o mundo inteiro devido a ser reserva mundial, ou seja, todo o mundo vai pagar a dívida. 

Os reguladores querem fazer lentamente o processo para que as pessoas não se apercebem, que foram eles os responsáveis pela inflação (o imposto invisível), o responsável pela destruição das suas vidas. Se existisse essa “fuga” das stablecoin, eles teriam que acelerar drasticamente a impressão de dinheiro, destruindo por completo a economia mundial.

O medo dos reguladores é similar ao que acontece na banca comercial, se existir uma corrida aos levantamentos, os bancos vão colapsar, porque simplesmente não existe dinheiro, devido ao crédito. Os bancos emprestam dinheiro muito superior ao que têm, as chamadas reservas fracionárias. Os bonds são uma espécie de reserva fracionária.

Bonds

O grande problema não são as Stablecoins mas sim os Bonds. Essa “corrida” à venda de bonds, tanto pode acontecer nas Stablecoins, como pode ser a China, Japão ou o Reino Unido a iniciar o processo, o pânico fará o resto. O problema não está no detentor do título mas sim no emissor. Isto é muito similar, à crise que gerou o fim de Bretton Woods.

Quem será o próximo Charles De Gaulle?

Os principais detentores de bonds:

Dois países destacam-se, o Japão e a China, mas na lista estão países que estou a entrar ou já estão em crise: o Japão, o Reino Unido, Itália, Iraque, Peru e Polónia. 

Existe outro grupo, constituído por paraísos ou pseudo-paraísos fiscais, como Luxemburgo, Ilhas Caimão, Suíça, Singapura, Arábia Saudita, Bermuda e EAU. É dinheiro de pessoas que usam este sistema para “proteção de património”, ao mínimo sinal poderão desfazer-se dos ativos.

Este gráfico é de 2018, são quase quatro anos de diferença. O principal vendedor foi a China, mas ainda tem uma quantidade gigante de títulos. Os Chineses têm os americanos na mão.

“Ele também mencionou que o sentimento do mercado de títulos já está frágil nos EUA atualmente. Assim, qualquer incidente de uma corrida de stablecoin poderia levar a um efeito multiplicador e criar uma grande pressão de venda nos títulos.” in Colapso de stablecoins pode impactar mercado de bonds nos EUA

Aah, afinal estão numa situação de fragilidade… <ironia>

CBDC

Com a criação das CBDC, o FED vai querer substituir as stablecoin e nesse processo, aí sim, pode gerar desconfiança que pode levar à corrida para a venda. Apesar de todos os problemas que as stablecoins têm, estas ainda dão uma camada de privacidade, que não acontece com a CBDC. Possivelmente muita gente vai preferir as stablescoins à CBDC, como a Tether e a Circle vão ser controladas pelo FED, as pessoas vão mover o seu dinheiro para stablescoins algorítmicas com outro tipo de lastro, como metais preciosos, papel comercial e outros tipos de activos. O problema é que as algorítmicas até momento falharam, será que vai conseguir criar uma solução que funcione.

A FED está entre a espada e a parede, o que fazer com as stablecoins, como irá substituir sem gerar a desconfiança. Eu estou curioso, para saber como vão fazer. 

Corrida Bancária

A corrida bancária é o maior medo dos reguladores, porque eles sabem, se acontecer, todo o sistema financeiro colapsa, porque simplesmente não existe dinheiro devido à elevada impressão de dinheiro realizada pelos bancos. A reserva fracionária atingiu valor inexplicável.

Os políticos, reguladores e economistas gostam muito de criticar o ecossistema cripto, pela falta de regulamentação, mas o curioso, a FTX era a exchange mais regulada, gabava-se por ser regulada e era elogiada pelos políticos. A ironia do destino foi a que faliu e levou com ela outras empresas. 

Para que serve as auditorias, como não conseguiram ver nada, possivelmente são as mesmas que não encontram problemas no BES/GES.

Após o colapso do FTX, houve uma forte corrida ao “levantamento de depósitos” nas exchanges e a maioria sobreviveu. Em menos de um mês, houve exchanges que perderam 30% ou 40% dos depósitos e sobreviveram. 

Quantos bancos tradicionais sobreviveram a um acontecimento similar? ZERO… todos iam à falência.

Em suma, as corridas bancárias e/ou os invernos criptos (apesar das perdas de capital) até é bom no mercado cripto, remove os maus actores e dá mais resiliência aos bons. Será uma lição para o futuro, tanto para as exchanges como para os utilizadores, apreender com a dor. 

Lição do inverno cripto

  1. Nas criptomoedas, como no mundo real, devemos aprender com os nossos erros e com os erros dos outros e não voltar a cometê-los.
  1. Os utilizadores têm que meter na cabeça que a auto-custódia é essencial neste ecossistema. 

Not your keys, Not your coins

  1. Não cair no conto da sereia dos juros ou lucros fáceis. É preferível ter o capital seguro, do que querer ganhar  juros e perder todos os seus Sats, como aconteceu na Celcius, FTX e outros projectos.
  1. Desconfiar sempre de lucros fáceis, neste mundo nada é facil. 
  1. Outra lição a reter de 2022, não utilizar alavancagem, é como jogar num casino, onde o único vencedor, é o proprietário do casino.
  1. Se fizermos um zoom out, todos os problemas que surgiram em 2022 têm a mesma base, foi a replicação do sistema FIAT no ecossistema blockchain, juros, alavancagem, stablecoins, earn, pools de liquidez e etc. Tudo isto, já tinha falhado no sistema legacy, agora falhou em blockchain. Todas as replicações do legacy vão falhar, mesmo que sejam travestidas de blockchain.

Mais que nunca, temos que seguir a herança de Satoshi, criou uma alternativa, uma nova política monetária. Um sistema que não necessita de intermediários e completamente descentralizado. O Bitcoin.

  1. Agora um conselho para as pessoas que querem INVESTIR em Bitcoin e especialmente os que têm o dólar ou euro como moeda principal; Deves pensar no Bitcoin sempre a longo prazo, investe apenas dinheiro que não te faz falta, em caso de perda total a tua vida fica igual. A mentalidade tem que ser a mesma do jogador do euromilhões, após a compra, é dar como perdido o dinheiro e esperar pelo sorteio, que neste caso será daqui a 4 anos, no mínimo.

Bitcoin não é como um casino, mas quem investe tem que ter essa mentalidade, para conseguir resistir a todas as adversidades. Se investires aquilo que te faz falta no dia-a-dia, na esperança de ficar rico, logo na primeira queda de 20% ou 30% não vais resistir, acredita, vais vender do Bitcoin e ter um grande prejuízo. O Bitcoin é uma moeda muito nova, ainda é muito volátil, é normal oscilações superiores a 50%, tens que estar preparado para isso. É bom ver subir 30%, mas ver uma queda de 30% é extremamente duro psicologicamente, não é nada fácil, por isso é importante passar por um inverno cripto, dá-nos muita experiência, dá calo.

  1. Bitcoin não é um investimento, não  é uma forma para enriquecer, mas sim meio de liberdade e de preservação de valor. É importante não esquecer, que 1 BTC = 1 BTC.

Fix the money, Fix the world

  1. Para finalizar, não confie em ninguém, incluindo a mim e tudo o que eu disse em cima. É importante ouvir/ler e depois ir estudar/verificar/conferir se essas informações são ou não verdadeiras.

Don’t Trust, Verify