Fantasmas

Foto de Eric Pouhier

Aquele era o tempo
Em que as mãos se fechavam
E nas noites brilhantes as palavras voavam,
E eu via que o céu me nascia dos dedos
Ea Ursa Maior eram ferros acessos.

Marinheiros perdidos em portos distantes
Em bares escondidos, em sonhos gigantes.
E a cidade vazia, da cor do asfalto,
E alguém me pedia que cantasse mais alto

Quem me leva os meus fantasmas
Quem me salva desta espada,
Quem me diz onde é a estrada?

Quem me leva os meus fantasmas
Quem me leva os meus fantasmas
Quem me salva desta espada,
Quem me diz onde é a estrada?

Aquele era o tempo
Em que as sombras se abriam, em que os homens negavam
O que outros erguiam.
E eu bebia da vida em goles pequenos,
Tropeçava no riso, abraçava venenos.

De costas voltadas não se vê o futuro
Nem o rumo da bala, nem a falha no muro.
E alguém me gritava, com voz de profeta.
Que o caminho se faz, entre o alvo e a seta.

Quem me leva os meus fantasmas
Quem me salva desta espada,
Quem me diz onde é a estrada?

Quem me leva os meus fantasmas
Quem me leva os meus fantasmas
Quem me salva desta espada,
Quem me diz onde é a estrada?

De que serve ter o mapa
Se o fim está traçado,
De que serve a terra à vista
Se o barco está parado,
De que serve ter a chave
Se a porta está aberta,
De que servem as palavras
Se a casa está deserta?

Quem me leva os meus fantasmas
Quem me salva desta espada,
Quem me diz onde é a estrada?

Quem me leva os meus fantasmas
Quem me leva os meus fantasmas
Quem me salva desta espada,
Quem me diz onde é a estrada?

Música de Pedro Abrunhosa.

8º maior

Actualmente o português é a 8º língua com mais entradas no projecto OmegaWiki, com 57%. Curiosamente é o mesmo posto que ocupa o Wikipedia lusófona no universo das Wikipedias.

Outra curiosidade é que 75% users activos na Omega são de Portugal, o contrário deve acontecer na Wikipedia…

…ahhh é verdade ia-me esquecendo, 75% corresponde a: 3 users de Portugal e 1 do Brasil. é verdade somos muito poucos.

Spray Paint


É fantástico ver este ARTISTA a trabalha, com uma impressionante rapidez e inúmeras técnicas de pintura. Para chegar a este ponto certamente tem milhares de horas de trabalho e de latas de tintas.

A página oficial deste senhor: http://www.sprej.com/

Quero é saúde…

Esta história é incrível, se eu não tive-se lido no site do Correio da Manhã, não acreditava da veracidade desta história, até parece que é um texto criado pelo Nuno Markl.

Um homem, de 75 anos, reformado dos correios e residente na cidade de Portalegre, Alentejo, foi no sábado bafejado pela sorte ao ganhar três dos quatros primeiros prémios do Totoloto. O septuagenário, que prefere o anonimato para “não ser reconhecido e raptado”, registou os três boletins com os mesmos números, mas um de cada vez, por não se lembrar dos anteriores registos. Acabou por ganhar mais de 600 mil euros (120 mil contos na moeda antiga).

“O idoso tinha algumas dúvidas sobre se já havia registado ou não o boletim. Para confirmar, fez o mesmo três vezes”, disse.

No domingo, o afortunado compareceu com um ar de grande felicidade no centro para confirmar os números.

“Dizia que tinha ganho o Totoloto, mas não ligámos. Pensávamos que era brincadeira”, lembrou Carlos Bragança, o funcionário que confirmou os boletins premiados. Depois de verificados os números, ninguém queria acreditar. “Foi uma alegria”, disse outro dos funcionários.

O septuagenário referiu, contudo, ao CM, que não foi por esquecimento que registou o mesmo boletim por três vezes.

“Faço-o sempre com os mesmos números e vou continuar a jogar desta forma”, disse o homem, que trabalhou durante duas décadas na Corticeira Robinson e outra nos Correios. A reforma chegou há 15 anos, por invalidez.

Quanto ao dinheiro ganho com o prémio, um total de 618 mil euros, o premiado diz que já tem destino.

“Não preciso do dinheiro para nada e o meu único filho e os meus netos que façam dele o que quiserem. A única coisa que preciso é saúde, para mim e para a minha mulher, e de ser operado aos pés e às hérnias”, referiu, confirmando, em seguida, que para sua segurança “os boletins já estão em Lisboa”. O outro totalista arrecadou 205 980 euros.

fonte: http://www.correiodamanha.pt/noticia.asp?id=226986&idCanal=10

É uma historia incrível, o idoso não bastou ser sorte em acertar no números do totoloto, como, registou 3 bilhetes com os mesmo números. Depois ganhou 600 mil euros, mas a única preocupação do senhor, é que tinha medo de ser raptado e não queria o dinheiro, era para o filho, apenas queria era saúde.

Quem ficou com as orelhas a arder foi o outro totalista, deve ter dito boas ao septuagenário, se o velhote tivesse tomado os medicamentos, nunca se tinha esquecido que já tinha registo um bilhete.